sábado, 14 de abril de 2012

Manifestação em Bagé relembra tortura na ditadura e contesta livro sobre Médici


O IMA levou um grupo de pessoas ao ato público que aconteceu no lançamento do livro sobre ditador, escrito por coronéis


Do lado de dentro de um clube, militares e simpatizantes do governo Médici participavam do lançamento do livro sobre o período. Do lado de fora, manifestantes lembravam da tortura que a ditatura militar causou

“Bagé pede desculpas ao Brasil” dizia em um dos cartazes. Os manifestantes estavam na própria terra de Emílio Garrastazu Médici, militar que governou o País de 69 a 74, tendo um dos governos mais sangrentos da história da política. Há pouquíssimos metros de distância dos manifestantes e ao mesmo tempo, acontecia o lançamento do livro “Médici: A verdadeira história” – escrito pelos coronéis Claudio Heráclito Souto e Amadeu Deiro Gonzale, em Bagé. Em frente ao local onde o livro estava sendo lançado, o grupo de militantes gritou por justiça em memória dos torturados, desaparecidos e mortos pela ditadura militar. A manifestação aconteceu na última quarta-feira (11).

Na busca de chamar a atenção da comunidade em geral e do público que, saudosamente, assistia ao lançamento do livro, o grupo lembrou alguns dos tantos nomes de militantes que sofreram na ‘era Médici’: “Precisamos romper o silêncio que paira sobre esta cidade. Bagé não tem orgulho dos tempos do Médici, o governo mais nebuloso da história do Brasil”, disse um dos organizadores.

Contra a visão da história apresentada pelos militares aposentados também lembraram da importância da abertura dos arquivos da ditadura e pelo julgamento dos torturadores no Brasil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário